domingo, 11 de julho de 2010

A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA: ANALISANDO O "CASO BRUNO"


O caso do goleiro Bruno nos leva a discussões infinitas sob diversas perspectivas. Podemos falar da idealização do jogador de futebol, da busca pela fama, do desequilíbrio entre formação acadêmica e salário num país tão pobre como o nosso, traição, psicopatia e tantos outros. 
O comportamento do jogador nos assusta pela frieza e pela calma com as quais apareceu diante das câmeras de televisão, mas mais ainda nos assusta sua história familiar. Ele foi abandonado pelos pais quando tinha três meses de vida e criado pela avó paterna. O pai, que já é falecido, teve a prisão pedida sete vezes e a mãe foi investigada por tentar matar a tiros uma mulher em 1996, após uma noite regada à cocaína, além de ser alcoólatra. Seu irmão foi preso há dois anos por roubo. Histórias polêmicas fora do campo preenchem seu currículo. Em 2008, após festa em seu sítio na qual uma garota de programa foi agredida por outro jogador de futebol e prestou queixa, disse: Quem nunca brigou ou até saiu na mão com uma mulher.”
A família é responsável por funções como proteção, afeto e formação social e se constitui como uma das principais bases da vida psíquica das pessoas e espaço privilegiado na transmissão de valores, propiciando a construção de um modelo relacional transmitido aos filhos e a suas gerações seguintes. É preciso que os pais desenvolvam a autonomia de seus filhos, não se esquecendo de lhes dar proteção, tudo numa boa medida. É esse binômio que faz com que crianças tornem-se adultos independentes, confiantes e saudáveis. Através desse suporte, filhos sentem-se amados e tornam-se pessoas capazes de amar porque desenvolvem uma boa auto-estima.

Por outro lado, famílias denominadas na Psicologia por disfuncionais podem transmitir normas desviantes através do modelo de comportamento dos pais para os filhos. Os problemas de vinculação familiar advêm, em sua maioria, daqueles lares onde faltam habilidades para a criação dos filhos, reduzindo as chances de transmissão efetiva de normas sociais saudáveis.

O caso Bruno nos faz pensar na enorme importância da família e de sua função no cenário social como propagadora de valores, já que é em seu território que se formam os primeiros cidadãos. Uma história de abandono familiar aliado a uma rápida e espetacular ascensão social, dentro de uma sociedade com falta de ídolos positivos, somado a  características pessoais não pode produzir um ser humano sensível, ético e capaz de amar e ser amado. Precisamos cuidar de nossos filhos !

Um comentário:

  1. Adorei o texto, muito bom mesmo !
    vamos cuidar das crianças .
    Beijos

    ResponderExcluir